• facebook
  • twitter
  • youtube
  • blog
  • g+
  • email
  • abrigo de animais
  • quero adotar cão ou gato
  • adoção com responsabilidade

Dicas...

 

Dicas importantes sobre gatos, comportamento, adestramento, agressividade

Unhas de gatos
Não se deve cortar as unhas dos gatos, mesmo se eles estiverem arranhando seu estofado. Se não for tomado o devido cuidado, o corte pode atingir a parte vascularizada das unhas, ferindo o seu animal. Isto é muito doloroso. Melhor você fornecer algo para ele lixar as garras; existem pequenos postes especiais à venda em pet shops. Porém se a unha dele estiver lascada ou partido, leve-o ao veterinário para cortá-la.

Como fazer a limpeza dos olhos ?
Quando seu cão ou gato apresenta secreção nos olhos (nos de pêlo longo é mais freqüente) convém limpá-la pois em contato com a poeira, forma um acúmulo de sujeira que pode causar uma infecção local. O soro fisiológico é um dos melhores produtos para isso (não causa alergia e nenhum outro inconveniente). Embeba um chumaço de algodão como soro e passe nos olhos do seu animal. Faça isso como parte de uma rotina de higiene dele. Mas cuidado, se a secreção for muito intensa ou de cor amarelada (pus), leve-o ao veterinário, pois ele pode estar com uma infecção nos olhos.

Poema: "O gato devolve ao homem a exata medida da relação que dele parte. Sábio, é espelho. O gato é zen. O gato é Tao. Ele conhece o segredo da não-ação que não é inação. Nada pede a quem não o quer.
Exigente com quem ama, mas só depois de muito certificar-se. Não pede amor, mas se lhe dá, então ele exige.
Sim, o gato não pede amor. Nem depende dele. Mas, quando o sente, é capaz de amar muito. Discretamente, porém sem derramar-se. O gato é um italiano educado na Inglaterra. Sente como um italiano mas se comporta como um lorde inglês.
Quem não se relaciona bem com o próprio inconsciente não curte o gato. Ele aparece, então, como ameaça, porque representa essa relação precária do homem com o (próprio) mistério. O gato não se relaciona com a aparência do homem. Ele vê além, por dentro e pelo avesso. Relaciona-se com a essência."


Meu depoimento sobre gatos:

Permita-se ter a felicidade de adotar um anjinho destes.

Gatos são amorosos, carinhosos, inteligentes, sensíveis, divertidos e muito gostosos. É mito e mentira o que dizem, como uma fofura destas poderia ser traiçoeira? Isto é argumento de quem nunca teve o prazer da companhia de um bichano.

Eu AMO gatos e recomendo
.

São limpos e charmosos, ótimos companheiros para cães, e exigem pouco de nós.

Abra seu coração, eles precisam de você! Faça um bom ato, adote um gato.


Marta - fundadora do Petfeliz.

Convulsão e epilepsia em gatos .

São relativamente raras em gatos. Podem acontecer por hereditariedade, lesões cerebrais, envenenamento ou carências vitamínicas. Os ataques epiléticos podem começar quando o gato atinge 6 meses, no caso  da doença ser hereditária ou, subitamente , em consequência de um acidente ou golpe na cabeça. Não movimente o gato durante um ataque.
Procure um médico veterinário imediatamente. Martha Follain

Problemas de Comportamento por Luciana Martins

 Gatos não são disciplinados da mesma forma que os cães. O cães formam uma hierarquia social, que o homem usa para adestrá-lo, tornando-se o líder do cão.
Gatos foram grupos sociais apenas em caso de necessidade e esse grupo respeita territórios e não um chefe.
Não bata no seu gato ou use outra punição física qualquer, você apenas o estará ensinando a temê-lo.
Como os gatos detestam serem surpreendidos, use objetos que produzam barulho, como uma latinha de refrigerante com algumas moedas dentro, sempre que o pegar fazendo algo que não deva. Mas a repreensão só funciona se for feita na hora que ele está tendo o comportamento inadequado, depois não adianta, ele não saberá o porque.
Outro método, é empurrar a cabeça do gato, com a palma da mão. Não bata, apenas empurre sua cabeça com gentileza, mas dizendo um não firme.
Gatos são como ter crianças pequenas em casa. Mantenha objetos quebráveis ou perigosos longe do seus alcançe, as estantes de livros devem ser estáveis e firmes, assim como prateleiras, etc.
Treine seu gato desde pequeno, será mais fácil que ela aprenda nessa idade, o que pode e não pode fazer. Muitas vezes a gracinha do filhote não é mais engraçada quando ele se torna adulto, mas então não há mais como ensiná-lo a não fazer.

Borrifar Urina

Alguns gatos apresentam o hábito de borrifar a casa com xixi.
Para poder se diagnosticar corretamente, é necessário diferenciar entre problemas físicos, como SUF (Sindrome Urológica Felina) ou cistite e problemas comportamentais, como marcação de território.
De uma forma geral, o borrifo de xixi, é mais comportamental, e urinar em local inapropriado, costuma ser por causas médicas.
Sempre limpe o local, mas evite o uso de limpadores a base de amoníaco, porque só irão atrair mais ainda o gato.
A maior parte dos gatos não castrados apresenta o comportamento de marcação de território com spray de urina. E o cheiro da urina é mais forte do que a urina dos castrados.
Cerca de 10 a 20% dos castrados, continua com o hábito de borrifar.

Arranhar os móveis
Dê ao seu gato um "poste de afiar as garras", encontrado em lojas de animais.
Mostre contentamento sempre que ele usar o poste.
Para evitar que arranhe os móveis, cole no local em que ele arranha, uma fita adesiva de dupla face.
Verifique o tipo de material usado no poste de afirar as garras. Eles não gostam de tecidos ou materiais em que suas garras fiquem presas, se isso acontece, eles não usam mais. Corda e madeira são materiais que eles apreciam.
Alguns preferem o poste vertical, outros, horizontal.

Agressividade

Em Filhotes
A agressividade nos filhotes, geralmente é sob a forma de "brincar de brigar", uma preparação para futuros combates reais.
Essa agressividade, normalmente, é dirigida para os pais e irmãos de ninhada.
Se o gatinho morde com força, ele irá receber a mesma mordida de volta, e os irmãos podem parar de brincar com ele, como forma de punição.
A brincadeira dos filhotes, é também como um treino para caça, envolvendo ataques surpresas e tocaias. Na vida selvagem, saber caçar significa sobreviver.
Os ataques dos filhotes envolvem morder e arranhar.
Se seu gato se excede nas brincadeiras de brigar com você, antecipe seus movimentos preparatórios para o ataque e impeça-o, como por exemplo, chacoalhando a latinha de refrigerantes com moedas. Ele será surpreendido e se assustará, frustando o ataque.
Não dê atenção a ele por algum tempo, até ele se acalmar. Ele irá aprender a brincar da forma mais adequada se você desencorajá-lo a se exceder.
Não encoraje o filhote a brincar de morder sua mão, ou atacar suas roupas e cadarços de sapato. Brinque com um brinquedo próprio para ele
Brinque sempre com seu gato, use brinquedos com movimento, exercite-o. Assim ele irá dar vazão ao seu instinto de caça sem atacar seus pés e tornozelos.

Gatos que brigam quando um deles volta do Veterinário
É muito comum, gatos que convivem bem há anos, receberem com agressividade aquele companheiro que foi ao Veterinário.
É algo transitório, mas se for preciso, o ideal é matê-los em quartos separados, trocando-os de quarto para que sintam o cheiro um do outro, até tudo se normalizar.

Gatos que ficam agressivos quando idosos
Se um gato demonstra comportamento agressivo sem nunca tê-lo sido no passado, é bom examiná-lo para Hipertireoidismo e outras doenças sistêmicas, mesmo que o gato não mostre nenhum outro sinal de doença.

Agressão extrema contra o dono
Devem ser analisadas todas as possíveis doenças físicas e psicológicas.
Entre as causas físicas temos: Dores crônicas, isquemias cerebrais, problemas neurológicos.
Nas causas psicológicas: Ansiedade, agressividade redirecionada, medo, etc.
Identificar a causa é fundamental para o sucesso do tratamento.

Agressividade entre gatos
Não ocorre por disputa de dominância, como nos cães, mas por disputa de território.
A disputa entre gatos pode ser territorial, agressividade redirecionada, ou medo. Também pode ser "brincar de brigar", como ocorre com os filhotes.
A maior parte dos gatos só estabelece seu território por volta dos 2 anos. Esse tipo de comportamento é problemático para animais que vivem juntos dentro de casa.
A agressão entre os gatos é um problema sério, algumas vezes insolúvel, tendo o dono que manter os animais em cômodos separados por todo o tempo.
O uso de tranqüilizantes é recomendado para o gato que é agredido. Quando o gato reage com muito nervosismo, se arrepia e foge correndo do agressor, estimula a agressividade deste.

A  ARTE  DE  RONRONAR

O ronronar é um murmúrio, específico dos Felídeos, emitido pelo gato quando está com a boca fechada, traduzindo-se por uma emissão sonora e uma vibração laríngea.  Traduz um estado emocional intenso, sem avaliar se expressa o prazer ou a dor.  Alguns gatos em fase terminal de câncer ou que sofreram um acidente de trânsito ronronam intensamente, expressando a sua dor e a sua angústia.  Durante muito tempo se acreditou que um órgão específico permitia o ronronar.  Trata-se na verdade de um fenômeno aerodinâmico, que é possível pelos movimentos coordenados da glote, da laringe e das musculaturas adjacentes. O ronronar é de fato um comportamento voluntário que não pode ser desencadeado de forma intencional pelo homem. As carícias estimulam geralmente a produção do ronronar, mas nem sempre.

Pensa-se atualmente que o ronronar, que é muito mais freqüente no gatinho do que no adulto, expressaria a dependência do gato em relação à sua mãe e depois, por generalização, em relação à pessoa que dele se ocupa (proprietário, veterinário, ou ajudante). No gato doméstico, o ronronar pode se tornar um meio de comunicação com o ser humano.  Cabe a cada um descobrir aquilo que o gato quer dizer.